Metodologia EAD Pleno São Luís

Metodologia EAD
No EAD Pleno São Luís cada disciplina do curso contém um livro impresso e um DVD com videoaulas;
Metodologia EAD
Os livros e as videoaulas também estarão disponíveis para você no formato online;
Metodologia EAD
O mesmo autor que escreve o livro, grava as videoaulas e elabora as questões das provas;
Metodologia EAD
Isso garante unidade nos conteúdos e um aprendizado livre de dúvidas.

Material didático

Sistema de avaliações EAD

O sistema de avaliação varia de acordo com o curso. Todos os cursos EAD Pleno São Luís contemplam avaliações por disciplina e, além disso, podem haver outros momentos de avaliação, como práticas curriculares, estágios supervisionados, atividades complementares e trabalho de conclusão de curso (TCC).

Avaliação - Etapa 1
A prova online é feita ao final de cada disciplina, no portal AVA.
Avaliação - Etapa 2
A prova presencial é feita no polo, mediante agendamento prévio.

Encontro presencial

O encontro presencial acontece para a realização da atividade avaliativa. Você escolhe a melhor data e então faz o agendamento pelo portal AVA ou pelo telefone do seu polo;

Avaliação - Etapa 3
No EAD Pleno São Luís, os alunos têm liberdade para escolher a data do encontro presencial;
Avaliação - Etapa 4
Você terá apenas um encontro presencial ao final do curso.

AVA • Ambiente Virtual de Aprendizagem

Por meio da internet, você terá à sua disposição um importante recurso tecnológico a ser empregado durante o seu curso, o Portal AVA. Ele é simples, intuitivo e fácil de usar.

Objetivo do curso

Proporcionar um aprofundamento teórico-metodológico que implemente a prática pedagógica dos profissionais envolvidos no trabalho com a pessoa que necessita de acompanhamento especial. Proporcionar uma visão mais abrangente em relação à inclusão da pessoa com necessidades especiais no ensino regular.

Grade curricular

-
Disciplinas
DIDÁTICA DO ENSINO SUPERIOR
75h
NOVOS CAMINHOS PARA PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO
75h
DEFICIÊNCIA INTELECTUAL, FÍSICA E PSICOMOTORA
75h
DEFICIÊNCIA VISUAL, AUDITIVA E SURDOCEGUEIRA
75h
TRANSTORNOS GLOBAIS DE DESENVOLVIMENTO (TGD) E ALTAS HABILIDADES
75h
METODOLOGIA DO ENSINO DA EDUCAÇÃO ESPECIAL
75h
TECNOLOGIA ASSISTIVA
75h
COMUNICAÇÃO ALTERNATIVA
75h
Carga horária total do curso:
600h

* A matriz curricular pode ser alterada sem aviso prévio.

Educação especial e inclusiva

A educação é um direito básico, comum a todos os cidadãos. Entender o que é a educação especial e inclusiva é essencial para quem deseja trabalhar em uma escola especializada ou que seja inclusiva.

Pensando nisso, preparamos esse texto para que você entenda qual a diferença entre educação especial e inclusiva.

Existe diferença entre educação especial e educação inclusiva?

Sim. Educação especial e inclusiva são modalidades diferentes.

A educação especial utiliza de ferramentas didáticas e pedagógicas específicas para atender às limitações da criança com necessidades especiais, sejam elas físicas ou cognitivas. Ela não possui um papel integrador do aluno com a sociedade, sendo aplicada fora do ambiente da educação regular, em escolas ou centros especializados no atendimento a essas crianças.

Já a educação inclusiva é um sistema educacional misto, onde se alia a educação regular com a educação especial. Nesse contexto, os alunos com necessidades especiais são integrados aos demais alunos no ambiente escolar comum.

Existe um plano nacional para a educação especial e inclusiva?

O Plano Nacional de Educação (PNE), é o documento do MEC que determina diretrizes, metas e estratégias para a política educacional. Atualmente, está em vigência o plano estabelecido de 2014 a 2024. Nesse plano, está prevista a política de educação especial e inclusiva.

A meta de número 4 do PNE estabelece o acesso à Educação Básica e ao atendimento educacional especializado para toda a população de 4 a 17 anos com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades ou superdotação.

Segundo o MEC, até pouco tempo atrás existia uma indiferença com o tema, por isso, não existem dados suficientes para a elaboração de um parâmetro de monitoramento dessa meta. Porém, nos últimos anos houve um aumento na taxa de matrículas de alunos com necessidades especiais em escolas comuns em relação às matrículas em escolas exclusivas.

O indicador do MEC mostra que entre 2007 e 2017, houve um aumento de 37,3% de matrículas em classes comuns.

Além disso, os dados do Plano Nacional de Educação, mostra que em 2017 a maior parte das matrículas de alunos especiais da rede pública se concentra em classes comuns (95%), enquanto na rede privada a maior parte das matrículas se concentra em escolas exclusivas (67,6%).

Qualquer escola deve estar preparada para receber um aluno especial?

Agora que entendemos a principal diferença entre educação especial e inclusiva, precisamos entender se qualquer escola de ensino regular pode ou deve receber alunos com necessidades especiais.

No Brasil, a Lei de Diretrizes e Bases Nacionais da Educação (9.394/96), de 1996, assegura a todas as crianças com necessidades especiais, o direito constitucional de educação pública e gratuita. Segundo o MEC, qualquer escola, seja ela pública ou particular, que negar matrícula a um aluno com deficiência comete crime punível com reclusão de 1 a 4 anos (Art. 8º da Lei nº 7.853/89).

Para receber esses alunos a escola não precisa obter nenhuma licença da Secretaria da Educação, porém, ela precisa estar preparada. Além de professores capacitados e treinados para lidar com as limitações das crianças, é necessário adaptações na estrutura física.

A escola também precisa dispor de tecnologias que permitam a integração dos alunos com necessidades especiais e o apoio de um grupo de profissionais que possam proporcionar um processo educacional de formação integral, como educadores físicos, psicólogos, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais e psicopedagogos.

As adequações estruturais, de materiais e treinamento da equipe estão previstos no Decreto nº 7.611, de 17 de novembro de 2011.

Quais são as “deficiências” atendidas pelo estado/município?

Levando em consideração o que citamos acima, as escolas precisam atender e matricular alunos que possuam Altas Habilidades e Superdotação, Deficiência Intelectual e Múltiplas Deficiências, Surdez, Deficiência Física e Neuromotora, Deficiência Visual, Transtornos Globais do Desenvolvimento.

Quais são as melhores práticas da área?

Só aceitar o aluno e o colocar dentro da sala de aula não caracteriza inclusão. O professor e demais colegas precisam estar integrados ao aluno e trabalhando juntos para o desenvolvimento integral da criança com necessidade.

A Educação Inclusiva colocada em prática se baseia em considerar a deficiência de um aluno como uma das muitas características diferentes que cada um deles apresenta.

Estudos recentes demostraram que a convivência de alunos com necessidades especiais e alunos que não apresentam nenhuma limitação, é benéfica para os dois lados. A Educação Inclusiva ajuda a construir uma sociedade que sabe respeitar as diferenças, os alunos incluídos são mais propensos a pertencer a um grupo de amizades ou viver de forma mais independente, trabalhando ou ingressando no ensino superior. Além disso, as pesquisas mostram que esses alunos desenvolvem habilidades em matemática e leitura mais apuradas e são menos propensos a mostrar problemas comportamentais, se comparados aos alunos que não frequentam escolas inclusivas.

Como me preparar para receber alunos especiais?

Concluir um curso superior de licenciatura não é o suficiente para receber alunos com necessidades especiais na sala de aula. O professor precisa conhecer os tipos de deficiências e como lidar com as características individuais de cada uma delas. Para isso, é imprescindível que o educador se especialize e se atualize com frequência, para garantir uma educação de qualidade a todos os alunos.

A pós-graduação educação especial e inclusiva EAD é uma opção para o professor que quer agregar conhecimento sobre esse assunto.

Educação Especial e Inclusiva da São Luís

A Pós-Graduação em Educação Especial e Inclusiva a distância é uma opção que irá fazer grande diferença não só no seu salário como também no que diz respeito a agregar conhecimento para a sua carreira.

O principal objetivo do curso do EAD Pleno São Luís é proporcionar um aprofundamento teórico que proporcione a prática pedagógica dos profissionais envolvidos no trabalho com o aluno portador de necessidades especiais. Além disso, o docente agrega uma visão mais abrangente em relação à inclusão da pessoa com necessidades especiais no ensino regular.

Outro fator determinante na escolha entre fazer ou não uma pós-graduação é o critério financeiro. Uma pesquisa recente, realizada com cerca de dois milhões de profissionais, em 4.063 cidades do Brasil, mostrou que, dependendo do cargo, ter uma pós-graduação pode significar um aumento de até 53,7% no salário.

O EAD Pleno São Luís é referência quando o assunto é Educação a Distância. Todos os cursos são credenciados pelo MEC, com polos presentes em grande parte do território nacional. A São Luís ainda conta com uma metodologia de estudos flexível, com materiais físicos e virtuais, possibilitando ao aluno escolher a melhor forma de estudar, se adequando a sua disponibilidade de local e horário. E não é só isso! O corpo docente é altamente qualificado e os preços dos cursos são totalmente acessíveis.

O que posso esperar em um curso de Pós-Graduação em Educação Especial e Inclusiva?

O curso de Pós-Graduação EAD Pleno em Educação Especial e Inclusiva da São Luís é o mais completo do mercado. Ele abrange todos os conteúdos que o profissional precisa para desenvolver um trabalho de qualidade em sala de aula, garantindo a qualidade da inclusão do aluno especial.

A pós-graduação é composta por 600 horas de duração e oferece ao docente os seguintes conteúdos:

  • Formação Docente para a Diversidade
  • Novos Caminhos para Profissionais da Educação
  • Diversidade na Aprendizagem de Pessoas com Necessidades Especiais
  • Deficiência Intelectual, Física E Psicomotora
  • Deficiência Visual, Auditiva e Surdocegueira
  • Transtornos Globais de Desenvolvimento (TGD) e Altas Habilidades
  • Fundamentos da Educação Especial
  • Metodologia do Ensino da Educação Especial
  • Tecnologia Assistiva
  • Comunicação Alternativa

O EAD Pleno São Luís possui em sua grade diversos outros cursos de pós-graduação que focam no atendimento de alunos especiais. Eles são ideias para quem deseja se especializar em uma área específica ou obter mais de um título de especialização.

O que eu preciso para fazer minha matrícula?

  • Termo de adesão e declaração de ciência assinados;
  • Cópia simples do CPF;
  • Comprovantes de conclusão de Ensino Superior (declaração, diploma, histórico ou atestado emitido pela instituição de ensino de origem).

Pré requisitos

Quais são os requisitos mínimos para assistir às aulas via internet?
1. Plug-in do Adobe Flash Player (se necessitar).
2. Windows 7, 8 ou 10 com as atualizações mais recentes instaladas.
3. Google Chrome, Firefox, Internet Explorer 10 ou superior.
Conexão de banda larga igual ou superior a 5Mbps para uma melhor visualização dos vídeos.
Quais são as configurações recomendadas para o computador?
1. Processador 2.33GHz ou superior.
2. Memória RAM 4Gb para WIndows 10, 2Gb Ram para Windows 7 ou superior.
3. HD com 30Gb livres.
4. Monitor com resolução 1024x768 pixels.

Autores do material didático

O material didático foi elaborado por especialistas, mestres e doutores com grande experiência acadêmica e profissional:

Margarete Terezinha Andrade Costa – Mestre em educação; Especialista em Psicopedagogia Clínica e Institucional; Graduada em Pedagogia e em Letras Português/Inglês.

Tania Mara Fantinato – Mestrado em Engenharia da Produção; Graduação em Pedagogia.

Josemary Morastoni: Doutorado em andamento em Educação; Mestrado em Educação; Graduação em Pedagogia.

Priscila Chupil – Mestrado em Educação; Especialização em Organização do Trabalho Pedagógico; Especialização em Psicopedagogia Clínica e Institucional e Graduação em Pedagogia.

Marcia Siécola - Mestrado em Educação; Especialização em Gestão, Inovação e Docência na Educação à Distância; Especialização em Formação Docente em EAD; Especialização em Metodologia do Ensino Superior; Graduação em Pedagogia.

Karime Smaka - Mestrado em Educação; Graduação em Pedagogia.

Claudio Kleina - Doutorado em andamento em  Métodos Numéricos em Engenharia;  Mestrado em Educação; Graduação em Sistemas de Informação.

Irene Carmen Piconi Prestes: Mestrado em Educação; Especialização em psicopedagogia; Especialização em antrolopologia cultural; Graduação em psicologia.

Maria de Fátima Joaquim Minetto: Doutorado em Programa de Pós-Graduação em Psicologia; Mestrado em Educação; Especialização em Terapia Familiar Sistêmica; Especialização em Educação Especial; Graduação em Psicologia; Graduação em Educação Artística.

José Raimundo Facion: Pós-Doutorado em Westfälische Wilhelms-Universität Münster; Pós-Doutorado Westfälische Wilhelms-Universität Münster; Doutorado em Kinder Und Jugendpsychiatrie; Graduação em Psicologia.

Márcia Maria Stival: Doutorado em andamento em Psicologia; Curso de Didática no Ensino Superior; Especialização Educação Especial; Graduação em Musicoterapia;

Marcia Siécola - Mestrado em Educação; Especialização em Gestão, Inovação e Docência na Educação à Distância; Especialização em Formação Docente em EAD; Especialização em Metodologia do Ensino Superior; Graduação em Pedagogia.

Cleussi Schneider – Doutorado em Educação; Mestrado em Educação; Especialização em Psicopedagogia; Especialização em Orientação Educacional; Graduação em Pedagogia;

Ana Regina Caminha Braga – Mestre em Educação;
Especialização em Educação Especial com Ênfase em Inclusão;  Especialização em Psicopedagogia;  Graduação em Letras-Português/Inglês-Bacharelado e Licenciatura.

Mário Lúcio de Lima Nogueira: Mestrado em Educação; Especialização em Orientação Pedagógica em Educação a Distância; Docência do Ensino Superior; Psicopedagogia; Graduação em Formação de Oficinas da Ativa do Exército Brasileiro;

Proposta

O Programa de Especialização Docente com ênfase em Educação Especial e Inclusiva, oferta alternativas de estudo e pesquisa sobre como atender as variadas necessidades educacionais de forma inclusiva.  A apropriação de conteúdos específicos ao tema e a  condução didática para atuação na prática pedagógica, visa ampliar o repertório teórico e fundamentar a ação pedagógica dos profissionais da educação. Este curso atende aos seguintes critérios legais:

- Lei n° 9394/96, que estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional;

- Parecer nº 17/01-CNE/CEB, que fundamenta a Resolução 02/2001/CNE/CEB;

- Deliberação n.º 02/03-CEE-PR, que dispõe as normas para a Educação Especial, na modalidade da Educação Básica, para alunos com necessidades educacionais especiais, no Sistema de Ensino do Estado do Paraná;

- Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva – Portaria Ministerial nº 555/2007 – MEC;

- Parecer nº 07/2014 do CEE-PR, referente à Proposta de Ajustes na Organização das Escolas de Educação Básica, na Modalidade Educação Especial, para oferta da Educação Infantil, do Ensino Fundamental – Anos iniciais (1º e 2° anos) da Educação de Jovens e Adultos – Fase I e da Educação Profissional;

- Instrução n.º 005/2015 – SEED/SUED;

- Resolução SEE/MG 2686 – Anexo IV – Tópico 2.3; 1º;

- Instrução n.º 04/2016 – SEED/SUED.

Modalidade de ensino

Você opta pela modalidade que melhor se adapta a sua rotina na hora da matrícula.
Online: modalidade de estudo com acesso às videoaulas e livros em PDF via internet.
Online + DVD* + Livros: modalidade de estudo com acesso às videoaulas e livros em PDF via internet + um DVD de dados com videoaulas + Livros impressos.

Público-alvo

Educadores das redes pública e privada, profissionais da educação e demais pessoas que demonstrem interesse pelo tema.

Videoaula demonstrativa